Ele Ficou Chorando Por 300 Dias No Abrigo De Cães. Foi Adotado E Mudou De Vida!

Você já se imaginou preso(a)?

Nenhum cachorro deveria ficar espremido em um lugar tão desagrada´vel com um abrigo de cães de rua. Apesar dos funcionários desses locais fazerem o máximo para amenizar o sofrimento dos cães que ali estão, é simplesmente impossível dar uma vida digna à todo que estão ali, pois falta voluntários e muitos acabam presos o dia todo.

A história do cão de hoje é muito comovente. Ela retrata o sofrimento dos cães nos abrigos e também o alívio que sentem quando são adotados!

A longa jornada de adoção de Pepe

Desde maio, os seguidores das contas de mídia social do SPCA da Pensilvânia têm recebido atualizações sobre o Pepe, uma mistura de pit bull adoravelmente enérgica. O cão feliz havia sido trazido para o abrigo no mês de outubro anterior e estava achando a vida no abrigo particularmente difícil.

Portanto, o PSPCA resolveu ajuda-lo eliminando todos os obstáculos, tornando-o objeto de atualizações semanais nas redes sociais para que ele pudesse achar um lar definitivo. Então, em 18 de outubro, finalmente chegou a boa notícia: Pepe havia sido adotado.

Quando Pepe foi trazido pela primeira vez do Controle de Animais da Filadélfia para o PSPCA em 26 de outubro de 2020, o pobre filhote estava com problemas – o abrigo registra seu peso ingerido em 38,8 libras – e os trabalhadores suspeitaram que ele havia sido abusado por seu dono anterior.

Um cachorro inteligente e extrovertido, Pepe descobriu que a vida no abrigo era cada vez mais estressante.

“Obviamente, este não é um lugar que deva ser de longa duração para nenhum cão ou gato”, disse a gerente do PSPCA Lifesaving Maddie Bernstein. “[Animais] podem mostrar estresse de várias maneiras e para muitos cães isso pode se manifestar no que chamamos de estresse do canil.”

Todos os dias, ele saia alegremente para passeios de carro ou longas caminhadas, mas quando chegava a hora de trazê-lo de volta para o canil, Pepe chorava e ofegava. Uma vez no canil, Bernstein diz que Pepe apresentou diversos comportamentos de estresse. Ele pulava alto para tentar escapar e se machucava empurrando o rosto nas laterais do canil, tentando ver os visitantes e os outros cães.

A esperança da adoção

Conforme os dias no abrigo se transformavam em meses, a equipe do PSPCA intensificou seus esforços para encontrar um lar para Pepe, antes que os comportamentos de estresse se tornassem incontroláveis.

“Acho que sua maior barreira era a incapacidade de viver com outros cães”, diz Bernstein. “Ele puxava na direção deles e latia alto e simplesmente queria brigar. Então, tivemos que encontrar um lar sem outros cães ou gatos e um lar sem crianças pequenas por causa de seus níveis intensos de energia.”

Mas no mês passado – exatamente 348 dias depois de ser trazido – Pepe encontrou sua família definitiva. Em vez de uma grande celebração, o PSPCA optou por uma despedida mais moderada para evitar que o animado se empolgasse muito no momento. A equipe tirou fotos de Pepe antes que ele fosse para casa com sua nova família e anunciou sua grande notícia para voluntários e amigos da mídia social PSPCA.

“A história de Pepe não é incomum. Há tantos cães merecedores em abrigos que são esquecidos por vários motivos”, escreveu o PSPCA no Twitter. “Cachorros como Pepe são nossos motivos – são nossos porquês. E sabemos que também são seus.”